Mais Uma Crônica De Amor

08 dezembro 2017

“Sinceramente acredito que não era para ser. Nem no carnaval, muito menos no natal. Foi assim que me sentir logo após perceber que o amor é um baile onde cada um dança em seu tempo, em seu passo, às vezes um dança funk, outro samba. Às vezes um começa com um hip hop passa por um ritmo dos anos 80 e acaba num reggaeton. O amor é aquilo que se apaga quando acende as luzes e é dado um “Tchau, até logo” e nunca mais se encontram. O amor é aquilo que cresce quando as luzes vão se retirando do espaço. É aquele pisão no pé, é a nota errada, o passo mal dado. É o empurrão, o esbarrão, é aquilo que você nunca imaginou que seria, é aquilo que está no canto que você não imaginaria que estaria.
Achei que o amor dançava bem e usava smoking. Pensei que ele gostava de flores e comia sem parar. Imaginei muitas coisas, me ceguei por muito tempo.
O amor quando chegou e parecia um boneco de posto de gasolina dançando e falava “I am smoking”. Tinha alergia a flores e vivia de dieta. O amor quando chegou viaja muito com os pés no chão.
O amor não veio montado em um cavalo branco, mas perdeu os sapatos na festa. O amor não tinha carro, nem moto e voltou descalço para casa. O amor esperou até às 5 horas por um ônibus.
O amor era de aquário com lua em áries e ascendente em capricórnio. Eu não sabia o que isso significava. O amor tinha muitos defeitos. Era diferente e precisava de espaço, mas um bom amigo. Às vezes perdia o controle e tinha muita energia. O amor queria ser rico.
O amor não tinha muitas coisas a ver comigo, mas o pouco que tinha era muito. O amor dançava com uma, duas, cinco pessoas e nem olhava para mim. O amor gritou ao telefone “É goool!” e me tirou de minha fantasia ao som de “Total Eclipse Of the heart”.
O amor não falou comigo aquele dia. Mas muitas vezes nos encontramos. E por muitas vezes não nos falamos. O amor demorou 24 aulas mais um extra de “Faroeste Caboclo” para falar comigo. O amor tinha sotaque de longe e hálito de café. O amor já tinha estado em vários lugares ao mesmo tempo que eu e passou despercebido.
O amor me disse que me viu no baile, na biblioteca, na padaria e no banco.
O amor me disse que eu tinha cheiro de infância.
O amor me olhava sorrindo.
O amor me ouvia e me entendia.
O amor chegou e não foi embora.
O amor veio para ficar e ser feliz.
O amor se tornou meu amigo.
O amor veio para ficar com outra pessoa.
Quando o amor chegou, percebi tarde demais que amor não é aquilo que se espera e sim aquilo que se vive. “

p.s.: Eu também te amava.


12 comentários:

  1. Que linda reflexão,
    Fazemos tantas expectativas sobre o que é o amor , somos tremendos idealistas da perfeição quando na realidade, tudo nos foge do controle , é diferente do esperado e se não aproveitarmos o momento ,sim ,ele nos escapa entre os dedos.

    ResponderExcluir
  2. O amor é mesmo um sentimento indefinido e dotado de definições, quem ousa desvenda-lo precisa ser como ele. Adorei sua postagem! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa que lindo. .. o amor não é aquilo que se espera e sim aquilo que se vive! Amei essa frase. Bjosss

    ResponderExcluir
  4. Estou muito, muito apaixonada por essa crônica. Só digo uma coisa, amei <3
    Beijoos :*

    ResponderExcluir
  5. Lindo o texto, amei as palavras e me identifiquei um pouco, talvez.

    ResponderExcluir
  6. Que fofo o que você escreveu embora a cada dia que passa o mundo fica cada vez pior, eu ainda acredito no amor sabe, pois pra mim ele vem de um coração puro e dedicado a Deus! e gostei da sua ultima frase que o amor não é aquilo que se espera e sim o que vive, há se muitas pessoas pensassem assim, a vida seria tão mais fácil!!!!

    -Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Adorei demais a cronica em muitos momentos me vi imaginando a história rs e acho que isso é legal da história. Também em várias partes identifiquei o amor, aquele real e não dos contos de fadas

    ResponderExcluir
  8. Amei sua crônica, com certeza amor não é o que se espera e sim aquilo que se vive!

    ResponderExcluir
  9. Essa crônica é muito profunda, que leva os leitores a refletir bastante e pensar: será que estamos esperando? ou estamos amando? Parabéns pelo post. Beijão 😘

    ResponderExcluir
  10. Amei seu texto e amei como descreve sua saga com o amor. O amor esse sentimento tão procurado e em alguns casos só percebido quando perdido.

    ResponderExcluir
  11. Que legal seu blog, acho bem bacana assim com equipe por ter pontos de vista diferentes em um mesmo lugar. Achei a cronica bem interessante, as vezes se percebe o que viveu quando ja não se tem mais e nem tem a chance de poder curti mais. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem?! Que lindo, fiquei apaixonada na sua escrita! Me identifiquei muito. Parabéns, muito lindo seu post!
    Bjs

    ResponderExcluir