Sonhos de Infância

16 dezembro 2017

Hoje eu me deitei no sofá, pedi uma grande pizza mais refrigerante para acompanhar, liguei a TV e troquei de canal várias vezes até parar em um filme que eu não lembro qual foi. Olhei para tela do celular por muitas vezes esperando uma mensagem tua, desliguei todas as luzes e fiquei debaixo das cobertas me protegendo do ar frio que entrava pela janela aberta. Eu me lembrei quando tinha 5 anos e queria ser pirata, navegar pelo mar afora até uma ilha misteriosa atrás de um tesouro perdido. Aos 7 anos eu queria ser astronauta, viajar até a Lua e trazer um pedacinho dela, afinal ela é enorme e não sentiria falta. Aos 12 eu queria ser bombeira para salvar vidas. Aos 16 eu queria ser médica para curar as doenças. Aos 18 e não sabia o que eu queria ser mais. Aos 20 você chegou. Aos 20 teu pai foi embora. Aos 20 fui pirata e aprendi a navegar entre a multidão, a desviar de pedras e rochedos que só atrapalhavam meu caminho. Você era a constelação que me guiava até aquela ilha misteriosa da minha infância. Era a âncora que não deixava eu me perder em meio a loucura. Por muitas vezes quase me afoguei em lágrimas, mas teu sorriso me lembrava o quanto é bom viver. Com o passar dos anos fui astronauta e descobrimos juntas o mistério do nosso pequeno universo. A escola não era tão fácil, as idas ao mercado menos ainda. As pedras no caminho ficaram maior e apareceram com mais frequência. Tínhamos mais planetas para explorar e seres vivos para conhecer… e temer. Por muitas vezes tive que ser bombeira para te socorrer a cada joelho ralado, a cada coração partido. As quedas eram inevitáveis, mas sempre fiz o possível para te ajudar a levantar. Era e ainda é um trabalho de 24 horas, mas tive uma bela equipe para me ajudar. Fui médica, enfermeira, psicóloga, fui tudo e um pouco mais do que eu queria ser para te curar dos resfriados e problemas de adolescentes. Tive que aprender a dizer “não” e reconhecer que havia mais dos meus pais em mim do que eu havia pensado. Tive que ser forte e otimista a cada nota baixa, relacionamento acabado e demissão que você recebia. Aos poucos, fui aceitando, mas não ainda totalmente, que um dia você iria embora aos poucos e que nesse momento eu deveria acreditar mais em mim. Eu deveria acreditar que o que te ensinei e o que vivemos te ajudaria a enfrentar o mundo. Eu deveria confiar em tuas amizades e dar um voto de confiança em suas escolhas amorosas. Aos 18 eu não sabia o que queria ser, mas tenho certeza do que eu não queria deixar de ser. Eu não queria deixar de ser tua mãe. ----- Nova Mensagem de Filha <3 “Mamãe, cheguei em casa. Amanhã passaremos aí. Te amo.”


9 comentários:

  1. Que texto lindo.Parabéns suas palavras conseguiu mim tocar muito.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto sobre certos amadurecimentos que a vida nos trás. Parabéns!

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem? Que texto lindo, tocante e emocionante! Amei. Parabéns
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que texto sensível, poético e profundo, o final foi emocionante, parabéns pelo talento.

    ResponderExcluir
  5. Olá, gostei muito do texto, parabéns!

    Quero mais!

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    adorei o texto. Lembrei dos meus filhos crescendo e o mais velho que já não mora mais comigo, fico esperando mensagem dele dizendo que está tudo bem com ele quando não converso com ele durante o dia. Parabéns pelo texto!

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Um texto muito bonito,percebo leveza mantendo da infância em várias fases da vida.E o processo de amadurecimento como ser humano diante dos conflitos.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Nossa, estou toda arrepiada!!! Você me emocionou com seu texto. Além disso está criativo e muito bem escrito. Amei!!!
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que lindeza, texto puro e recheado de sentimentalismo. Parabéns, viu?! Amei!!!!!!

    ResponderExcluir